Projeto realizado para o Concurso Nacional do Marco de Entrada de cidade de Brusque.

As texturas, as sensações rítmicas e as sensações espaciais permeiam a pesquisa conceptiva deste projeto. Contudo esta pesquisa é marcada pela potencialidade evolutiva do homem, como pela sua capacidade questionadora que se faz necessária não somente no desenvolvimento desse marco, mas também no cotidiano da indústria têxtil. Assim, a superação das tecnologias existentes e o desenvolvimento de uma distinta materialidade é a necessidade cotidiana enfrentada. Em uma busca globalizada e não mais simplesmente  ritmada pela máquina para as futuras prerrogativas do homem contemporâneo.

Assim o marco proposto para a cidade de Brusque não se resume somente a uma demarcação vertical utilizada pelo homem durante sua história, mas sim pela adição da verticalidade característica de um marco a uma conformação espacial. Essa soma possibilita a existência não somente de um marco urbano e sim de um equipamento urbano, no qual ocorrerá distintos eventos fomentados pela promenade proposta. Portanto, houve a necessidade da existência de uma relação mais profunda que a visual, se fez oportuna a relação sensorial topográfica, criada através de uma trama rítmica semelhante a de um tecido, que se repete e se conecta para modelar o corpo dos mais diversos usuários.

A topografia proposta é decorrente da intenção e do sentimento de proteção dos usuários em relação ao ruído dos veículos que circulam nas rodovias, assim como priorizar as visuais dos marcos e diminuir a interferências das áreas de estacionamento perante sua estética. Suas variações também proporcionam repousos naturais aos usuários.

As grandes peças de mármore disponibilizadas pelo município de Brusque serão cortadas e transformadas em laminas que revestirão todos os totens metálicos propostos. Para assim possibilitar um maior uso das pedras existentes.  Os totens são em estrutura metálica com alturas variáveis e serão chumbados em elementos de concreto moldados em loco. Nas extremidades laterais dos totens será utilizado placas metálicas que possibilitam a manutenção e resguardam a fixação das pedras das intempéries. O coroamento dos totens será com luminárias que não só possibilitarão a iluminação noturna, mas também protegerão e possibilitarão a manutenção dos totens juntamente com as chapas laterais.

Project undertaken to the National Contest of The Brusque Landmark.

The textures, the rhythmic sensations and the space sensations permeate this project research. However potentially this research is marked by the man evolution, as by his question needs, and the ability to change the known. The needs to overcome the existing technologies and the development of a distinct materiality are a daily necessity. In a global search not only dictated by the machine but either by the new prerogatives of the modern man.

The landmark proposed to Brusque is not only limited to a vertical demarcation used by man during his history, but by a verticality sum to a spatial conformation. This sum allows the existence of an urban infrastructure, in which different events can occur encouraged by the proposed promenade. Therefore, there was a necessity of a deeper connection than the visual one, a topography relation was created through a complex mesh that repeats and connects itself.

The topography proposed was an answer to the protecting intention for the users against the vehicles’ noise on highways, as well as emphasizes the landmarks visuals and decreases the interference of the parking lots. The topography variations also provide natural spots to the users.

The large pieces of marble provided by the City are going to be sliced and held by the metallic totems, which had variable heights and will be bolted into concrete elements.

status: concurso
equipe: Gustavo Utrabo, Juliano Monteiro e Lucas Issey
localização: Brusque SC, Brasil
cliente: Prefeitura de Brusque SC
área do terreno: 300 m2
ano do projeto: 2009

Anúncios