A cidade não existe de forma independente. Ela é uma conexão, um entroncamento em uma constelação de interações sociais, políticas, econômicas e culturais, cujo objetivo principal é o de dar suporte à sociedade, de prover para as necessidades do ser humano.  A Confederação Nacional de Municípios (CNM) representa 5.562 municípios brasileiros, uma rede imensurável de ligações em direções, sentidos e significados diversos. O Projeto para a Sede desta entidade em Brasília, deve representar uma complexidade rica, e  buscar as qualidades desse sistema multidimensional para seu funcionamento, criando diferentes oportunidades de relacionamento – tanto visual quanto físico e simbólico.

No entanto, o conceito da cidade como entidade autônoma tem sentido administrativo/fiscal e, também, de criação de identidade. Esse lado simbólico de unidade não pode ser desconsiderado, uma vez que possibilita o surgimento de sentimentos de união e pertencimento, base para a apropriação e preservação de um local (rua, bairro, cidade) por determinada população. Se buscamos, metaforicamente, relacionar o caráter do edifício com o conceito da CNM, é natural que ele apresente uma aparência externa unitária. Porém, se trata de uma unidade simbólica, permeável, mutável ao longo do dia e de acordo com observador.

Como a gravidade, que mantém a relação recursiva entre corpos, o elemento vital que impede a cidade de se dissolver em caos é seu espaço público. Um espaço que pertence a todos, que representa o sentido de comunidade, catalisador de encontros e invenções. Desta forma pode-se conjeturar que o espaço público represente a alma da sociedade. Poderia então, o edifício que representa todos os municípios brasileiros perante a União prescindir deste espaço? Ao contrário, o projeto deve abrigar e proteger a área pública onde as conexões são celebradas, como um  gesto representativo da união da sociedade com a administração pública. A Praça Cívica em homenagem aos Municípios não deve estar ao largo do edifício ela deve ser o próprio edifício.

The city does not exist in an independent way. It is a connection, a intersection in a constellation of social interactions, political, economic and cultural whose main objective is to support the society, to provide for the needs of human beings. The National Confederation of Municipalities (CNM) represent 5,562 Brazilian municipalities, a network of connections in invaluable ways, several meanings. The project for the headquarters of this organization in Brasilia, should represent a rich complexity, and pursue the qualities of the multidimensional system for their operation, creating different opportunities for relationship – both visual and physical and symbolic.

However, the concept of the city as an autonomous entity has meaning administrative / fiscal, and also to establish identity. That part of symbolic unity can not be disregarded, since it allows the development of feelings of unity and belonging, ownership and the basis for preservation of a place (street, suburb, city) for a specific population. If we try, metaphorically, to relate the character of the building with the concept of the CNM, it is natural to present a unit external appearance. Though, it is a symbolic unity, permeable, changeable throughout the day and according to the viewer.

As the gravity, which keeps the recursive relationship between bodies, the vital element that keeps the city from dissolving into chaos is its public space. A space that belongs to everyone, which represent the sense of community a catalyst for meetings and inventions. Therefore can be conjecture that the public space represents the soul of society. Could then the building that represents all the municipalities before the country overlook this space? Instead, the project must accommodate and protect the public area where connections are celebrated, as an act representative of the union of society with the government. The Civic Square in honor of the municipalities should not be off the building it should be the building itself.

status: concurso
equipe: Gustavo Utrabo, Juliano Monteiro, Pedro Duschenes, Ernesto Bueno, Lucas Issey e Mariana Bittencourt
localização: Brasília DF, Brasil
cliente: Confederação Nacional dos Municípios
área do terreno: 5.000 m2
área construída: 5.000 m2
ano do projeto: 2010

Anúncios