Vila

Uma pequena vila familiar em Curitiba, formada a partir da subdivisão em quatro lotes de um terreno de 13 metros de testada por 110 metros de profundidade.  Inicialmente serão executadas as duas edificações mais distantes da rua, a primeira dentre elas denominada de Casa KF e a seguinte de EA.

A beleza do diálogo

Seria equivocado pensarmos os dois objetos como únicos, pois até mesmo a negação do seu par seria uma afirmação da sua existência. Assim, encontramos na continuidade o interesse primário de estudo e, conseqüentemente, nas possibilidades de diálogo entre esses dois objetos arquitetônicos, como um desmembrar da seqüência urbana, o campo onde essa reflexão acontece.

As camadas se vinculam tipologicamente e estratificam a perspectiva, desvirtuando a escala unitária e acentuando o conjunto.

O vazio conformado no espaço entre as duas casas estabelece uma relação intermediária entre o íntimo familiar e o percurso exterior. Uma vez que o lote estreito impossibilita o reconhecimento prévio da interrupção no espaço construído, percebe-se as duas casas como um objeto único.

Casa KF

Uma casa compacta, estruturada espacial e tectonicamente através do percurso que interliga as áreas de lazer localizadas no térreo (Salas e Cozinha) com a sala de música no pavimento superior.

Os dormitórios buscam a melhor insolação e uma certa relação de privacidade perante a casa EA enquanto o térreo volta-se para área externa estabelecida entre as duas casas.

Casa EA

A camada mais baixa configura-se pelas áreas de serviço e pela conexão de 7 metros por 15 metros que estende-se conectando os vazios do sítio através de sua área social. Já na camada superior estão os dormitórios e uma abertura que possibilita a intercomunicação entre os diferentes usos.

“Village

A small family village in Curitiba, formed from the subdivision of 13 meters frontage by 110 meters in length terraininto four lots. Initially the two buildings implemented will be farther from the street, the first among them called the KF House and the following EA House.

The beauty of the dialogue

It would be mistaken to think the two objects as unique, because even the denial of its pair would be an affirmation of its existence. Thus, we find continuity in the primary concern of study, and consequently, the possibilities of dialogue between these two architectural objects, such as an dismembered urban sequence , where this reflection happens.

The layers are linked typologically and stratify perspective, distorting the scale unit and accentuating the whole.

House KF

A compact home, space and tectonically structured along the route joining the recreational areas located on ground floor (rooms and kitchen) with the music room upstairs.

The dormitories look for the best sunlight and some privacy for towards the EA house, while the ground floor turn to external area established between the two houses.

EA Home

The lowest layer is configured by the service areas and the connection of 7 meters by 15 meters which extends connecting the voids of the site through the social area. In the top layer are the dorms and an openness that allows intercommunication between the different uses.”

status: em andamento
equipe: Gustavo Utrabo, Juliano Monteiro, Pedro Duschenes, Ernesto Bueno, Lucas Issey e Mariana Bittencourt
projeto  estrutural: Ricardo Dias
localização: Curitiba PR, Brasil
área do terreno: 1.335 m2
área construída: 585 m2
ano do projeto: 2010 – 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s